COMPARTILHE

Os tecidos delicados são aqueles que possuem maior variedade, e suas fibras podem ser tanto artificiais como naturais. Este tipo de tecido são os que contém pelos em sua composição, como os veludos (seda, acetato e raiom), pelúcia, com superficie aveludada, os de imitação de peles de animais ou mesmo os de peles naturais. Na hora do corte, deve-se ter o cuidado de fazê-lo no sentido do pelo para cima, a fim de obter a cor mais viva. Caso queira o efeito contrário, um tom opaco, deve-se cortá-lo no sentido para baixo.

Para a costura, o molde deve ser desenhado sempre no verso do tecido, separando as partes para não confundir. Ao costurar, prenda as partes cortadas do molde com um alfinete. Iguale-as e tenha o cuidado na hora de passar a costura, pois só é possível ser feita uma única vez, visto que se precisar ser desfeita, deixará marcas no tecido que não voltam ao estado normal.

Para os que contém muito pelo, a regulagem da tensão do ponto deverá ser mais solta e aumentar o comprimento do ponto. Se o excesso de pelo estiver atrapalhando a costura, pode ser aparado. Nos tecidos de veludo, por serem  mais grossos, sempre fica a dúvida de como fazer a bainha. A dica é que se faça uma bainha em debrum, com uma tira de tule e depois costurá-la com ponto invisível.

Ao passar o tecido delicado, coloque uma flanela ou outro tecido de algodão cru por cima e passe o ferro  por cima deste, a fim de não prejudicar as fibras. A temperatura sempre deverá ser baixa, caso contrário, marcará ou derreterá a fibra. Evite passar constantemente a ferro o tecido delicado, somente em grande necessidade. Para a abertura das costuras, utilize o bico do ferro ou no melhor dos casos, utilize mesmo os dedos. Tendo estes cuidados, você fará lindas peças neste desafiante, mas muito elegante tipo de tecido.