COMPARTILHE

Uma boa notícia para quem é deficiente físico e procura uma colocação no mercado de trabalho: representantes da indústria têxtil estão incentivando através de ações, o direito, a cidadania e capacitação de deficientes físicos. Através de um evento que foi recentemente promovido pela ABIT (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e pelo Sinditextil, houve um debate entre especialistas, como Hélio Zylberstajn, da Faculdade de Economia da USP, onde foi mencionado que o setor têxtil e de confecção poderão ser uma porta para a entrada destas pessoas com necessidades especiais, para serem incluídas no mercado de trabalho.

É uma área onde há bastante necessidade de profissionais, principalmente para operar máquinas sem precisar estar de pé o tempo todo. É possível que vagas possam ser oferecidas às pessoas com deficiências, precisando somente de alguns mínimos ajustes para a acessibilidade ao local de trabalho. Este tipo de iniciativa por parte das empresas, melhora sua imagem perante a sociedade, mostrando que a mesma se importa com causas sociais, além de proporcionar um ambiente de trabalho democrático e livre de preconceitos, tornando outros empregados mais solidários.

Também durante o evento, Linamara Rizzo, secretária de Direitos das Pessoas com Deficiência de São Paulo, declarou que somente através deste ato das empresas, em que todas possam dar este passo, que é dar emprego às pessoas com deficiência física, é que se pode construir uma grande nação, com respeito às diferenças.

Fernando Pimentel, diretor superintendente da ABIT também fez uma declaração por ocasião do evento, informando que estão pensando em colaborar para encontrar saídas coletivas em seleção e recrutamento para empresas associadas que estão dispostas a incluir deficientes físicos no seu quadro de funcionários.

Uma das organizações que oferece reabilitação de deficientes físicos, preparando-os para o mercado trabalho é a Avape, Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência.  A organização é filantrópica e de assistência social.  A ONG oferece atendimento médico, reabilitação e adequação do deficiente ao mundo corporativo, garantindo o bem-estar para o trabalho.