COMPARTILHE

Os cientistas dos Estados Unidos estão desenvolvendo mais uma importante tecnologia, desta vez relacionada à indústria têxtil: o tecido que produz energia.

A energia liberada pelo corpo gera calor suficiente, que armazenado pelo tecido, tem capacidade para recarregar aparelhos portáteis como celulares players de música ou qualquer leitor portátil.

Corey Hewitt, estudante que está desenvolvendo o projeto, acredita que muita energia é perdida e que poderia muito bem ser reaproveitada para outros fins, como por exemplo, a energia de um automóvel quando perdida, poderia ser reutilizada para alimentar outros aparelhos do próprio automóvel, como ar condicionado ou rádio.

O tecido envolvido no processo, realizado no Centro de Nanotecnologia da Universidade Wake Forest, tem o nome de “Power Felt”, ou “Feltro de Energia” e é constituído por pequenos tubos de carbono que libertam energia a partir da temperatura do corpo e o meio externo. Este tecido gera 140 nanowatts de eletricidade, e quando são adicionadas mais camadas, a potência aumenta.

A desvantagem é o preço que a tecnologia custará. Os dispositivos utilizados para compor o tecido necessitam de semicondutores para gerar a energia que custam em  média 750 euros por quilo. Ainda é algo bem distante da realidade de muitos.  Já outros cientistas são mais otimistas e acreditam que fazendo alguns ajustes para dispensar o tal semicondutor, conseguirão possibilitar que o tecido possa carregar um celular, valendo apenas um dólar, ou 74 cêntimos.

Os desenvolvedores continuam investigando novas formas de modernizar cada vez mais o invento a fim de poder chegar à população com o preço mais acessível possível.

 AQUI você pode encontrar o estudo completo desta tecnologia dedicada à indústria têxtil