COMPARTILHE

Antigamente uma roupa à prova de balas era apenas um revestimento que blindava as roupa de policiais e de outros que lidavam com o crime no dia a dia. Hoje, com o aumento da violência, as roupas blindadas estão mais acessíveis a qualquer pessoa que queira se proteger, principalmente quem mora em regiões onde há tráfico de drogas e onde a violência é mais frequente.

Na Colômbia, um lugar com altas taxas de criminalidade, um estudante de desenho industrial e têxtil, Miguel Caballero, começou a pesquisar um tipo de tecido que substituísse os coletes pesados e desconfortáveis, pelas altas temperaturas do local.

Seu trabalho virou um sucesso e desde então, Miguel é conhecido como “o Armani da roupa blindada”. Através de sua pesquisa e trabalho, o designer já conseguiu criar casacos para mulheres, roupas para motoqueiros, jalecos, blazers e camisas que suportam tiros até de uma Magnum 45.  O material que ele utiliza na fabricação dos tecidos é segredo industrial.

As peças estão à mostra em sua loja na Cidade do México. Ele desenvolve agora um trabalho ali, desde que a Colômbia diminuiu a criminalidade. O México, segundo ele informa, começou a concentrar uma imensa guerra civil de drogas que já resultou em 40 mil mortos nos últimos cinco anos. Com isto as pessoas passaram a se proteger cada vez mais e a solicitar seus serviços.

Caballero também trabalha com blindagem para veículos e coletes tradicionais e militares. Mas suas roupas são o que tem feito mais sucesso, tanto que ele já estendeu seus serviços para toda a América Latina, Estados Unidos, Europa, África do Sul, Índia e China. Hugo Chávez também é um de seus mais famosos clientes, bem como o rei Abdullah, da Jordânia e o ator Steven Seagall.

Bastante comunicatico, Caballero conta casos bastante curiosos em que passou com sua empresa. Até mesmo já chegou a blindar uma batina para um padre.