COMPARTILHE

A moda africana está a cada dia mais presente no cenário mundial, onde grandes marcas internacionais, como a Burberry, tem buscado inspirações. O próprio continente africano está se sobressaindo mais na questão fashion, demonstrando grande capacidade de criação e promovendo seus trabalhos, que já foram mostrados no Dakar Fashion Week, em Senegal.

Uma destas estilistas africanas, Adama Ndiaye, decidiu criar seu próprio evento para mostrar suas criações, devido à falta de desfiles no país. A designer que inicialmente iria trabalhar como bancária, decidiu optar pela moda para perseguir um sonho. Então ela mesma foi em busca de construí-lo. Adama Ndiaye declara que a fim de angariar dinheiro para os desfiles, ela própria cobra pelo evento, oferecendo os próprios bilhetes, também aluga barcos, camelos, tudo isto a fim de atrair mais público e estilistas para Dakar.

Iniciativas como estas tem sido positivas para o negócio da moda africana. Tanto que casas de moda e revistas de estilo já tem sondado o novo mercado. Somente com o evento Dakar Fashion Week, realizado há dez anos atrás, fez com que aumentasse 13 vezes à mais o orçamento.

Os modelos desenvolvidos pelos designers africanos tem influências de todo o continente, com misturas de vestes coloridas e das tradicionais. Os desfiles são animados, com luzes e música, que atraem muitos curiosos e interessados em moda. Vendedores de rua se dizem fascinados com os eventos, o que também tem garantido mais movimentação para as vendas de churrascos e água.

O negócio tem realmente crescido, tanto que já se veem em lojas de Paris, Nova Iorque, Tóquio e Londres, os modelos da marca de  Adama Ndiaye. Mas embora os números sejam animadores, ainda falta financiamento, acesso a mercados, e muitos não levam à sério o suficiente a fim de investir no negócio. Para que a produção possa aumentar, é necessário o investimento. Só assim, pode-se chegar a um outro nível.