COMPARTILHE

A tecnologia têxtil cada vez investe mais em produtos úteis não só como vestimenta, mas à serviço da saúde. Cardiologistas estão testando uma nova camiseta que monitora a frequência cardíaca.

A roupa irá aos poucos substituir o holter, um aparelho que é usado na cintura pelo paciente, muitas vezes incômodo, principalmente para quem tem de continuar suas atividades de trabalho e no dia a dia, durante o uso.

Uma camiseta “high tech”, que faz eletrocardiograma, tem sido usada por serviços de saúde brasileiros em substituição ao holter, o dispositivo portátil que monitora a frequência cardíaca.

A camiseta tem sensores embutidos, com um sistema sem fios, Bluetooth, que captam os sinais vitais por até 72 horas ininterruptamente. Um gravador que é do tamanho de uma moeda, fica acoplado no bolso lateral da camiseta, e registra todos os dados do exame. O preço do exame custa R$ 200,00.

A nova camiseta-holter tem sido usada principalmente para acompanhar atletas em seu desempenho.

São muitas as vantagens do novo invento, como o monitoramento em tempo real durante o exercício, de acordo com a cardiologista Isa Bragança.

“Assim o médico cruza os dados da atividade do paciente com as alterações cardíacas e arritmias” explica a cardiologista.

Outra vantagem é a praticidade de fazer um acompanhamento cardíaco sem precisar usar um aparelho na cintura.

Apenas uma desvantagem: o kit completo ainda está um pouco caro para a população, custa cerca de R$ 4.600.

O modelo ainda precisa ser aperfeiçoado. Alguns pacientes ainda se queixam de que a camiseta é um pouco quente, por ser preta e de mangas compridas.

Outro entrave para a comercialização são as opiniões de outros cardiologistas, que não aprovaram a nova invenção. Um dos especialistas do Hcor informa que a nova camiseta não tem vantagens. Já tinha sido testada em 2011 e não foi aprovada. O motivo é o fato de a pessoa ter de colar adesivos no corpo e se conectar a eletrodos para fazer o exame. Pacientes também não aprovaram pelo motivo de a camiseta precisar ser lavada a cada novo uso.